O ato de ejacular de forma rápida, sem um determinado controle, gerando desconforto e insatisfação para ambos os parceiros no ato da relação sexual (e às vezes antes de seu início) se denomina ejaculação precoce, prematura ou involuntária. Segundo estudos recentes, um terço da populçãao masculina brasileira padece dessa disfunção.

Se manifestando geralmente em adolescentes no inicio da vida sexual, a EP, segundo alguns autores, pode aparecer por decorrência de um distúrbio de ansiedade relacionada à performance e ao desempenho pois, através da construção da cultura e do enrijecimento da mesma pelo moralismo em relação ao sexo, a pressão social que os homens sofrem afeta sim a maneira como lidam com a situação e como fazem sexo.

Além de envolver a auto-estima masculina, a ejaculação precoce estremece relacionamentos culminando em separações, sofrimento ou até gerando insatisfação sexual por parte da parceira, que muitas vezes, sequer tem a possibilidade de iniciar sua fase de excitação.

Pode acontecer em homens adultos, com experiências sexuais mais variadas, por uma simples novidade no relacionamento, ou por mudança de parceira (nova relação, com pessoa diferente). Questões orgânicas também são sugeridas por alguns estudiosos, mas não se obteve comprovação científica a não ser sobre a eficácia da terapia sexual no tratamento de tal disfunção.

Além de abordar questões psicogênicas como mitos, ansiedade, preconceitos e auto-estima, o tratamento da EP também acontece em torno da Terapia Comportamental Cognitiva, onde exercícios são sugeridos. É de extrema importância a participação ativa do paciente na execução dos exercícios e na freqüência ao consultório para que, a seu tempo e dependendo da evolução, a aproximação do resultado esperado aconteça com eficiência. Aliados à terapia sexual, tratamentos medicamentosos são úteis para a evolução do quadro e ainda são testados a fim de se chegar a um ideal e oferecer confiança, mostrando ao paciente a possibilidade do controle ejaculatório.

Desde meados de junho de 2009 começou a ser comercializado na espanha, um medicamento específico para ejaculação precoce, a dapoxetina, nada mais que um inibidor de recaptação de serotonina. Estudos controlados disseram que a substancia funcionou em mais de 6 mil homens ao redor do mundo. O importante é sempre consultar um especialista antes de qualquer ação.

Texto de Rodrigo Torres – Psicólogo Clínico – Master em Sexologia Clínica

Ultimas do blog

Gostaria de mais informações?