Muita gente acha que impotência tem cura através de remédios.

Mas a expectativa de recuperar a ereção costuma ser frustrada nesses casos – e por uma simples razão: a causa do problema foi ignorada.

Para saber mais quando e como a impotência tem cura, não deixe de ler este artigo até o final.

Impotência tem cura?

A impotência tem cura, sim. Mas ela passa pela escolha do tratamento correto.

Pode parecer óbvio afirmar isso, pois é assim com qualquer condição de saúde.

Só que nas disfunções sexuais, de forma geral, muitas pessoas buscam soluções milagrosas ou se enganam com outras cujo efeito é limitado e paliativo.

Para entender melhor, precisamos avançar sobre as causas da impotência.

Elas até podem ter relação com a saúde do corpo, já que doenças e hábitos ruins contribuem para a perda de ereção.

Estamos falando de sedentarismo, obesidade, colesterol, tabagismo, hipertensão arterial e diabetes, entre outras condições.

Mas é importante você saber que são impactos na saúde da mente que costumam desencadear a impotência sexual com maior frequência.

Diferentes pesquisas sugerem que até 90% dos casos de disfunção erétil tem causas emocionais.

A ansiedade é a maior vilã, sem dúvidas. Mas também a depressão desponta como fator de risco.

Além dessas doenças, episódios específicos contribuem para o quadro, como o medo de colocar a camisinha, a fobia relacionada à penetração ou a cobrança excessiva quanto ao desempenho.

No fim das contas, a verdade é só uma: apenas ao conhecer o que causa a impotência você descobre a cura para ela.

Qual o melhor tratamento para a ereção masculina?

Você precisa buscar uma avaliação especializada para determinar o melhor tratamento para impotência sexual.

A consulta a um urologista, é claro, deve fazer parte dessa busca.

Mas não ignore que a provável causa para o problema seja emocional e procure um profissional da área da Psicologia especializado em sexologia ou terapeuta sexual.

Nessa abordagem, a investigação se volta a aspectos que despertam os sentimentos ruins, que afetam a capacidade de concentração do homem na hora do sexo.

Ou seja, o foco mira aquilo que dificulta ou mesmo impede a ereção masculina.

Remédio para disfunção erétil funciona?

No mercado, é grande a oferta de medicamentos voltados à ereção. E assim é porque existe demanda, inclusive entre os mais jovens.

Segundo uma pesquisa do Instituto GFK, que avaliou homens entre 22 e 30 anos, a cada cinco deles, um experimentou o Viagra, remédio para disfunção erétil mais famoso do mercado.

Considerando os participantes do estudo com idades entre 41 e 50 anos, o medicamento foi usado em todas as relações por 44% deles.

Como se vê, em muitos casos, é criada uma relação de dependência do remédio, o que mascara o real problema.

Porque a ansiedade, assim como outras causas emocionais, não gera efeitos negativos apenas na ereção masculina.

E você não pretende tomar um novo remédio a cada sintoma que surgir, não é mesmo?

Então, para que seu desempenho na cama seja satisfatório, invista no tratamento adequado.

Enfrente e vença a impotência sexual

Se você quer priorizar uma vida saudável e feliz, procure a terapia.

O primeiro passo pode parecer complicado, por isso, conte com o apoio da parceira.

Também é válido recorrer a uma clínica que preza pela discrição e que possui expertise nesse tipo de tratamento.

É o caso da Sexestima, onde você encontra um serviço específico para encarar e vencer a impotência.

Visite o site e entre em contato para saber mais.

Ultimas do blog

Gostaria de mais informações?