Porque se masturbar é importante?

masturbacao-destacada-620-3

Diferente das meninas que geralmente descobrem a masturbação de maneira acidental ou pela curiosidade com o próprio corpo, os rapazes começam a praticar o ato por relatos de experiências vindas de colegas, troca de informações a grupos pertencentes (escolas, cursos, clubes) e também pelo acesso a materiais eróticos ou pornográficos.

Quando começar a se masturbar?

De uma forma geral, os meninos começam a se masturbar regularmente entre os 12 e 14 anos. Os rapazes já conhecem essas sensações de prazer antes mesmo de produzirem o sêmen (responsável pela ejaculação).

Por meio da frequência desta prática (que é muito maior nos meninos) vão aprimorando o ritmo e as técnicas. Na adolescência, a masturbação geralmente resulta na ejaculação, acompanhada do orgasmo.

É natural que nessa fase a frequência masturbatória seja maior do que em outras fases da vida, pois além do fascínio de propiciar auto-prazer, os jovens estão se acostumando com o próprio corpo e ainda não possuem em sua maioria, parcerias para o ato sexual. Também é normal que tanto os homens quanto as mulheres continuem a masturbarem-se durante toda a vida, mesmo que em menor frequência e mantendo relações com outras pessoas.

Porque se masturbar?

A masturbação proporciona uma intimidade com o próprio corpo, serve como um eterno aprendizado, uma verificação da sua resposta sexual, podendo fortalecer sua confiança quanto a sua  ereção e ejaculação.

Já masturbação feminina ainda é alvo de muitos tabus e preconceitos. Poucas mulheres falam sobre o assunto ou assumem que praticam o ato, através de uma educação repressora e punitiva aprendem, na sua maioria, que isso não é coisa para se fazer.

Algumas mulheres têm em sua memória situações que experimentaram e que gostaram, mesmo não sabendo do que se tratava: escorregar por corrimãos, cavalgar, brincar em trocos de arvore, andar de bicicleta ou jatos d’agua, são brincadeiras que, mesmo sem a consciência do ato propriamente dito, estimulam os órgãos genitais, provocando uma sensação de prazer agradável. E na maioria das vezes, quando visto por um adulto são repreendidas e punidas ao invés de orientadas.

A masturbação é uma forma natural e adequada psicologicamente para desenvolver-se sexualmente. A mulher terá maiores facilidades para ter orgasmos se tiver aprendido a se masturbar, a conhecer os seus pontos de excitação e prazer, evitando problemas como a anorgasmia.

Mulheres que não se masturbam e nunca se masturbaram, geralmente são aquelas que não sabem ter orgasmos com facilidade na relação sexual. Ao conhecer como dar prazer para a si mesma, a mulher pode comunicar ao companheiro o que ela precisa para ter o seu prazer

O cérebro é o órgão mais sexual que temos, assim sendo, a prioridade é de adentrar o erótico contido em nossas mentes. Uma das possibilidades é relembrar uma ocasião sexual que tenha sido boa e gostosa, pode ser uma fantasia criada naquele momento, um conto ou livro erótico ou mesmo um filme erótico ou pornográfico. O que é preciso é usar da criatividade para iniciar o processo de excitação sexual e formar a base para construirmos a estimulação física.

Vantagens da masturbação

Por meio do ato de masturbarem-se, muitas mulheres descobrem novas formas de relaxar, de se excitar, e de atingir o orgasmo, desfrutando deste aprendizado também na relação sexual.

Algumas preferem que essa experiência seja mais tranquila, mantendo uma só posição e limitando os toques das mãos no clitóris e na vagina. Outras preferem manter um movimento mais ritmado, e percorrem as mãos por todo o corpo, como seios, coxas, etc.

A sociedade machista faz com que as mulheres conversem pouco sobre sexo, o que tem mudado aos poucos. Quando as pessoas negam a existência da possibilidade de masturbação, são responsáveis pela manutenção de todos os mitos e tabus sobre o tema.

Os pais devem abordar o assunto com os filhos, encarando-a como parte integrante e necessária do desenvolvimento humana. Por mais que às vezes o assunto masturbação seja algo constrangedor para algumas mulheres, ele é comum na vida da maioria destas e deve ser visto como um ato normal e rotineiro quando em ligação ao ato sexual.

Veja também sobre ejaculação retardada

Texto de Cláudia Guimarães

Fontes: Psicologia e sexualidade – Oswaldo M. Rodrigues Jr.

http://veja.abril.com.br/especiais/mulher_2003/p_062.html

Rodrigo Torres

Rodrigo Torres

Psicólogo e Sexólogo, Máster em Sexologia Clínica, Saúde Sexual e Especialista em Terapia Sexual. Coord. Instituto Ibero-americano de Sexologia no Brasil, Del. Estadual Sbrash em Minas Gerais com mais de 15 anos de experiência.

Ultimas do blog

Fale conosco
1
Olá 👋
Posso te ajudar?