A sexualidade humana está em um constante processo de evolução e diversificação.

Não é atoa que, frequentemente, surgem debates sobre novas preferências e orientações relacionadas ao sexo.

Afinal, o desejo é uma questão muito relativa, variando de pessoa para pessoa. O que inclui a carga genética e também o meio ao qual o indivíduo foi exposto: ambiente familiar, círculos de amizade e experiências de vida.

Dessa forma, cada ser humano pode desenvolver formas específicas de encarar o sexo e sentir prazer.

Neste texto vamos falar sobre os demisexuais e suas características. Quem entender mais? Continue lendo até o final.

O que significa ser demisexual?

A Doutora Holly Richmond, americana especialista em sexologia, explica essa condição da seguinte forma: “Uma pessoa conhece outra e pode existir algum grau de atração instantânea entre eles, mas com o demisexual isso não acontece. Sentimentos românticos, amizade e envolvimento emocional vêm primeiro, só depois chegam os desejos sexuais.”

Portanto, de forma resumida, podemos dizer que pessoas demisexuais só sentem atração  por aqueles com quem já possuem alguma conexão emocional ou intelectual.

Assim, ao cruzarem com um homem ou mulher atraente na rua, não haverá uma conexão inicial.

Todavia, depois uma conversa, conhecimento mútuo e comunicação fluida, a chance de algo passa a existir.

Pessoas com essa orientação se importam com sexo, mas isso nunca é a prioridade em um relacionamento.

Assim, é comum que relações evoluam de uma amizade para algo mais, já que amigos — usualmente — possuem grande afinidade intelectual.

Demisexualidade tem a ver com assexualidade?

Assexuais são pessoas que não têm atração sexual e vivem normalmente apesar disso.

Estima-se que 7% das mulheres e 2,5% dos homens brasileiros sejam assexuais, de acordo com uma pesquisa de 2016.

No entanto, o demisexual se difere exatamente na questão do desejo sexual, que existe — mas apenas sob determinadas condições.

Assim, enquanto o assexual se mantém indiferente sob qualquer circunstância, o demisexual, depois de uma forte conexão emocional, pode sentir vontade de contatos físicos — o que inclui o beijo.   

A pessoa demisexual tem um problema?

Não. A demisexualidade não é considerada um quadro clínico. E sim uma condição sexual humana de menor ocorrência, como a assexualidade.

Portanto, caso você tenha se identificado com a descrição acima, não precisa se preocupar.

Todavia, também não recomendável se auto-declarar com parte de um grupo sem antes entender exatamente o que está acontecendo.

Converse com seu terapeuta ou sexólogo e faça um exercício de autoconhecimento, sempre respeitando seus limites, desejos e diferenças.

Gostou do nosso artigo? Continue a leitura e conheça os sinais de uma relacionamento desgastado e o que fazer.

Ultimas do blog

Gostaria de mais informações?