Outro capítulo na discussão sobre o ponto G

Descoberto ou inventado pelo médico alemão Ernest Gräfemberg em 1950, a discussão sobre a existência do ponto G volta à tona quando o ginecologista americano Adam Ostrzenski. Considerado por ambos como ponto exato no corpo feminino que proporciona o orgasmo, o Dr. Adam afirma ao “Journal of Sexual Medicine” ter encontrado a localização exata do dito cujo na parte frontal da vagina, um pouco à esquerda, na área superior.

Apesar de ser diretor do Instituto de Ginecologia de São Petersburgo, na Flórida, não se pode afirmar com tanta veemência que o prazer feminino se resume a um único ponto específico. As mulheres são seres muito mais evoluídos e complexos, o que torna impossível reduzi-las de tal maneira. O orgasmo feminino é motivo de tanta procura quanto existem mitos a sua volta, é mais plausível de acerto que vejamos o orgasmo como apenas uma fração de segundos em uma relação sexual que pode ter durado horas do que um objetivo a ser alcançado.

Para alcançar um orgasmo deve-se combinar uma série de fatores que depende e varia de mulher para mulher. Relaxar e gozar como disse Marta Suplicy em um momento infeliz é mais complexo do que consideram os doutores Ponto G.

 

Por Rodrigo Torres

Fonte Isto É

Ultimas do blog

Gostaria de mais informações?