Por que o azulzinho não funciona em alguns casos de Disfunção Erétil?

por que viagra não funciona sempre

O viagra é um dos maiores cases de sucesso da indústria farmacêutica e sua história tem início nos anos 90. 

Na busca por encontrar um remédio contra hipertensão, o laboratório Pfizer acabou esbarrando em uma mina de ouro, percebendo que o Citrato de Sildenafila (substância base do remédio) tinha efeitos contundentes no tratamento da disfunção erétil. 

Hoje o mercado conta com diversas marcas que usam o mesmo componente ou substâncias similares (como a Tadalfila e a Valdenafila, Cialis e Levitra, comercialmente)  para o tratamento de homens com a temida disfunção sexual chamada erroneamente de impotência. 

Mas por que essa fórmula não funciona em todos os casos? Entenda aqui! 

Como o viagra e seus similares funcionam?

Esse medicamento causa inibição da enzima fosfodiesterase 5, responsável por impedir a ereção, além do relaxamento da musculatura lisa dos corpos cavernosos (principal estrutura erétil do pênis) e a dilatação das artérias que levam o sangue até eles, o que aumenta fluxo sanguíneo até o pênis e facilita a ereção.

Entretanto, para a droga fazer efeito, é preciso que aconteça o estímulo sexual e de acordo com a bula, a pílula deve ser tomada até uma hora antes de relação.

Por que ele não funciona em todos os casos de Disfunção Erétil? 

por que o viagra não funciona em algun casos

Acontece que a ereção peniana é um processo complexo e a Disfunção Erétil envolve diversos fatores e desequilíbrios, tantos físicos como, principalmente, emocionais. 

Assim, frente ao problema de dificuldade de ereção, temos uma gama de possibilidades que nem sempre podem ser tratadas com o “azulzinho”. 

Dentro das causas físicas da disfunção erétil, podemos citar: problemas circulatórios, problemas neurológicos, distúrbios hormonais e também certos tipos de medicamentos.

Além disso, existem fatores psicológicos que não podem ser resolvidos com o medicamento, como a ansiedade

Qual o papel da ansiedade na Disfunção Erétil? 

A ansiedade, que é um sentimento de apreensão em reação ao medo — real ou não — tem sintomas físicos, psicológicos e cognitivos. 

E em um contexto de estresse e perigo, essas reações são naturais e evoluíram com o ser humano desde os seus primórdios, quando a sobrevivência era uma luta constante nas selvas e savanas. 

Entretanto, quando tiradas desse contexto, essas reações prejudicam o indivíduo em outras atividades, como na relação sexual. 

Quando um homem sente ansiedade diante de seu desempenho sexual, seu corpo age como se ele estivesse em perigo eminente, liberando neurotransmissores e hormônios como a adrenalina e o cortisol.

Essas substâncias agem no sistema nervoso, que fica em estado de hiperatividade, desencadeando reações como suor, arrepios, tremor, palpitação, entre outras alterações, no intuito de preparar o corpo para enfrentar ou fugir do perigo iminente.

Dessa forma, a ansiedade prejudica a capacidade cognitiva do homem durante o ato sexual já que o mecanismo de luta ou fuga está ativado. 

Na prática, isso significa que ele não consegue se entregar ao momento, e também tem uma perda considerável da percepção dos aspectos sensoriais do sexo, como toques, cheiros e sons. 

Assim, o indivíduo se vê distraído e preocupado, o que impossibilita a excitação e — consequentemente — a ereção de acontecer ou se manter.

Dessa forma, o viagra não pode ser visto como um tratamento isolado e sim como parte — apenas quando necessário — de um esforço conjunto para recuperar o paciente.

Os fatores psicológicos, como a ansiedade, medo, insegurança,vigilância do pênis e vontade de fugir da situação, devem sempre ser considerados na hora de tratar uma disfunção sexual.  

Portanto, o ideal é contar com um auxílio de um especialista em sexualidade sendo médico ou psicoterapeuta sexual para tratar a disfunção erétil. 

Ficou com alguma dúvida? Clique no botão do WhatsApp e entre em contato. 

Fontes: 

BBC Brasil. Disponível em: https://www.bbc.com/portuguese

Portal da Urologia. Disponível em: https://portaldaurologia.org.br

Ultimas do blog

Gostaria de mais informações?