Sexualidade na gravidez

Para abrir nossa participação na Rede Mãe seria interessante falarmos também de um assunto cheio de mitos, curioso e pouco comentado. A sexualidade durante a gravidez.

Além das diversas mudanças físicas, hormonais, emocionais e no comportamento, aparece a necessidade de vocês readaptarem a maneira de se relacionar sexualmente. É uma necessidade do casal, da mulher e do homem, cada um com sua participação na temporária nova maneira de sentir prazer.

Em você as mudanças são mais visíveis. O corpo muda e os hormônios acompanham essa mudança além de influírem de maneira substancial no seu emocional. Segundo alguns estudos o cansaço é um dos fatores que contribuem para a diminuição do desejo feminino durante as fases mais avançadas da gravidez; hormônios como a prolactina, responsável por fabricar o leite materno, também contribuem para a diminuição da libido. Porém, renomados autores do tema sexualidade disseram que no primeiro e no terceiro trimestre o desejo tende a aumentar em algumas mulheres.

Nós da Rede Mãe acreditamos que cada mulher é uma, e que cada gestação deve ser especial por si só, por isso, se conhecemos nosso corpo tão bem ao ponto de identificar essas mudanças, teremos habilidades para enfrenta-las como um casal maduro e criativo.

Geralmente o homem se sente mais perdido do que excluído, ele entende o que acontece, racionaliza, mas não sabe o que fazer e como agir em certas situações. Paciência, calma e a criatividade para novas posições sexuais são ingredientes fundamentais para o homem nessa fase. Alguns homens tem medo de machucar o bebê durante o ato sexual, outros ficam receosos pelo tamanho da barriga, mas a maioria conseguiria lidar melhor se tivesse mais informações. O ato sexual não machucará o feto e desde que a posição seja confortável e não tenha nenhuma contra indicação médica, vocês podem ter relações sexuais até bem pouco tempo antes do parto, desde que tenha desejo e excitação e seja em comum acordo com seu parceiro.

O fato é que o diálogo e a capacidade de adaptação podem tornar essa fase uma delicia, visto que a mudança pode ser benéfica em qualquer relação e o ambiente de amor traz consigo uma gostosa experiência de prazer no sexo.

 

Silva, A. I., Figueiredo, B., Isabel, A., & Licenciada, S. (2005). Sexualidade na gravidez e apos o parto, (3), 253-264.

 

Texto escrito por Rodrigo Torres para o portal Rede Mãe do qual é colunista convidado.

Ultimas do blog

Gostaria de mais informações?