Entenda o que é o Transtorno do Desejo Sexual Hipoativo

Transtorno do desejo sexual hipoativo - onde tratar em BH

Uma pesquisa revelou que 10% das mulheres não sentem desejo e não conseguem ficar excitadas. 

Na faixa etária acima dos 60 anos essa porcentagem sobe para 20 e levanta questões sobre o porquê dessa ocorrência tão alta. 

Esse problema é chamado de Transtorno do Desejo Sexual Hipoativo (TDSH). 

E embora o quadro aconteça com ambos os sexos, ele é mais comum entre as mulheres. 

Neste post vamos abordar o assunto, investigar as possíveis causas e mostrar linhas de tratamento. Vamos lá? Confira o texto até o final! 

Como se caracteriza esse quadro nas mulheres?

Essa disfunção sexual pode ser definida como uma ausência total de desejo sexual. 

Para ser caracterizada assim, a pessoa precisa ser acometida da inexistência dos dois tipos de desejo: espontâneo e responsivo. Entenda abaixo.

Desejo sexual espontâneo

É o desejo que surge naturalmente, sem a necessidade de nenhum estímulo físico. 

É quando a pessoa tem um pensamento erótico e se excita, ou se sente estimulada ao ver um homem, ou mulher atraente. 

Desejo sexual responsivo

É o desejo sexual que surge depois que o indivíduo recebe algum tipo de estímulo físico, como uma carícia ou um beijo. 

O quadro acontece quando nenhum desses tipos de desejo está presente

Além disso, como regra geral em outras disfunções, a situação deve estar causando algum tipo de adversidade para haver a necessidade de tratamento. 

Portanto, se a pessoa se sente bem dessa forma, não há o que ser tratado. Além disso, muitos especialistas falam de uma duração mínima de 6 meses para que o diagnóstico seja mais preciso. 

Quais são as causas dessa falta de desejo sexual na mulher?

Transtorno de desejo sexual hipoativo

 

Na grande maioria dos casos, a falta de interesse sexual por parte das mulheres está ligada a fatores psicológicos. 

No entanto, deve-se investigar para ter certeza que não existe a influência de fatores orgânicos no caso. 

Vamos ver quais as principais causas nas duas situações. 

Fatores psicológicos

Relacionamento 

A relação em que a pessoa está inserida tem, obviamente, grande influência em seus índices de desejo sexual. 

Assim, relacionamentos conflituosos, com pouca comunicação e relações sexuais insatisfatórias, podem minar o desejo sexual a ponto de torná-lo inexistente em dado período. 

Além disso, fatores como monotonia e rotina conjugal são sempre citados por mulheres que relatam o problema. 

Um estudo populacional com 356 mulheres entre 20 e 70 anos identificou que a diminuição do desejo ocorre mais frequentemente nos relacionamentos com maior duração.

Repressão Sexual e Traumas 

Por muitos anos a mulher sofreu grande repressão sexual — e, em realidade, ainda a sofre em diversas partes do mundo. 

Assim, esse é outro fator que deve ser levado em conta para “destravar” resquícios de uma educação rígida, repressão social e religiosa. 

Além disso, eventos traumáticos também podem causar o desinteresse. 

Fatores físicos

Alterações hormonais 

A mulher sofre alterações hormonais constantes durante a vida. O próprio ciclo menstrual cria ápices onde o desejo é maior. 

Isso geralmente acontece durante a janela de ovulação e pode diminuir em outros períodos, como na gestação, durante a amamentação e na menopausa. 

Doenças e medicamentos 

Outro fator orgânico que pode causar ou contribuir para o quadro do Transtorno do Desejo Sexual Hipoativo é a presença de algumas doenças. 

Além disso, tratamentos e a administração de certos remédios também devem ser considerados no diagnóstico.

A importância da terapia com profissionais 

A sexologia é a área do conhecimento dedicada a investigar, estudar e tratar as disfunções sexuais. 

Assim, quando problemas desse tipo surgirem, busque sempre aconselhamento profissional para encontrar o tratamento adequado. 

Quer marcar sua consulta e tratar problemas de libido em BH? Entre em contato e agende uma visita à Sexestima – Sexologia e Terapia de Casal.

Ultimas do blog

Gostaria de mais informações?